Iniciar sessão

Navegar para Cima
A aplicação Web não foi encontrada em http://cvarg.azores.gov.pt/noticias. Verifique se escreveu o URL correctamente. Se o URL tiver de fornecer conteúdo existente, o administrador do sistema poderá ter de adicionar um novo mapeamento do URL do pedido à aplicação de destino.
A aplicação Web não foi encontrada em http://cvarg.azores.gov.pt/noticias. Verifique se escreveu o URL correctamente. Se o URL tiver de fornecer conteúdo existente, o administrador do sistema poderá ter de adicionar um novo mapeamento do URL do pedido à aplicação de destino.
Não é possível visualizar esta Peça Web. Para resolver o problema, abra esta página Web num editor de HTML compatível com o Microsoft SharePoint Foundation como, por exemplo, o Microsoft SharePoint Designer. Se o problema persistir, contacte o administrador do servidor Web.


ID de Correlação:1de67406-ebe8-4d43-ad9c-3429f60d4837


Mundo ► Ciência

Schmidt Ocean Institute in The National Geographic
23-11-2015 15:15
Oceano Pacífico
Cientistas cartografam o maior vulcão do mundo, localizado no Oceano Pacífico

​O grupo de cientistas da Universidade de Houston, Estados Unidos da América que, em 2013, anunciou na Nature Geoscience a descoberta do maior vulcão da Terra no Oceano Pacífico, iniciou agora a produção de mapas 3-D do vulcão.

O Maciço de Tamu, como é denominado o vulcão, encontra-se a cerra de 1600 km a leste do Japão, é um vulcão em escudo e tem uma área aproximada de 311 km2.

Os mapas que mais tarde terão como objectivo final descobrir como este foi formado, agora permitem ter uma perceção mais clara da montanha submarina, que cobre uma área aproximada do tamanho do Novo México.

Segundo William Sager, geólogo da Universidade de Houston, o vulcão é altamente marcado por crateras e penhascos, e é possível que o seu flanco ocidental seja uma montanha separada que se formou num momento diferente do maciço principal.

O grupo faz ainda uma referência à análise magnética, que fornece algumas dicas sobre a génese da montanha, sugerindo que parte dela foi formada através de emissões constantes de lava ao longo da interseção de três cristas médio-oceânicas, enquanto que a outra parte é mais difícil de explicar.

O estudo foi baseado em dados de sonar e de magnetómetros (para medir os campos magnéticos) para cartografar mais de um milhão de quilómetros quadrados do fundo oceânico com grande detalhe. 


Fontes


The National Geographic

Informação Relacionada


Imagens Adicionais


Anexos



Notícias Relacionadas


Error in WebPart: A aplicação Web não foi encontrada em http://cvarg.azores.gov.pt/noticias. Verifique se escreveu o URL correctamente. Se o URL tiver de fornecer conteúdo existente, o administrador do sistema poderá ter de adicionar um novo mapeamento do URL do pedido à aplicação de destino.Click here to edit the properties of this web part.
Não é possível visualizar esta Peça Web. Para resolver o problema, abra esta página Web num editor de HTML compatível com o Microsoft SharePoint Foundation como, por exemplo, o Microsoft SharePoint Designer. Se o problema persistir, contacte o administrador do servidor Web.


ID de Correlação:1de67406-ebe8-4d43-ad9c-3429f60d4837
Error in WebPart: A aplicação Web não foi encontrada em http://cvarg.azores.gov.pt/noticias. Verifique se escreveu o URL correctamente. Se o URL tiver de fornecer conteúdo existente, o administrador do sistema poderá ter de adicionar um novo mapeamento do URL do pedido à aplicação de destino.Click here to edit the properties of this web part.