Iniciar sessão

Navegar para Cima
A aplicação Web não foi encontrada em http://cvarg.azores.gov.pt/publicacoes. Verifique se escreveu o URL correctamente. Se o URL tiver de fornecer conteúdo existente, o administrador do sistema poderá ter de adicionar um novo mapeamento do URL do pedido à aplicação de destino.
A aplicação Web não foi encontrada em http://cvarg.azores.gov.pt/publicacoes. Verifique se escreveu o URL correctamente. Se o URL tiver de fornecer conteúdo existente, o administrador do sistema poderá ter de adicionar um novo mapeamento do URL do pedido à aplicação de destino.
Não é possível visualizar esta Peça Web. Para resolver o problema, abra esta página Web num editor de HTML compatível com o Microsoft SharePoint Foundation como, por exemplo, o Microsoft SharePoint Designer. Se o problema persistir, contacte o administrador do servidor Web.


ID de Correlação:85a971bc-7cd2-4823-b8e7-bc324895441b


Painéis ► em encontros internacionais

 

Referência Bibliográfica


CRUZ, J.V., FONTIELA, J., CABRAL, L., MELO, C., COSTA, S., VILAVERDE, R., COUTINHO, R. (2011) – As águas subterrâneas no contexto do Plano de gestão da Região Hidrográfica 9 – Açores (Portugal). Congreso Ibérico sobre Las Aguas Subterráneas: desafios de la gestión para el siglo XXI, Saragoça, Espanha (Poster).

Resumo


​A elaboração do Plano de Gestão da Região Hidrográfica do arquipélago dos Açores (RH9) teve por base os diagnósticos, a definição de cenários, objectivos e programas de medidas formulados à escala de ilha, considerada a mais adequada de forma a reflectir as especificidades ambientais e socioeconómicas daqueles territórios.

 

Face à importância que a água subterrânea tem na RH9, quer como base do abastecimento às populações e às actividades económicas, quer como suporte ecológico, os vários planos de gestão de recursos hídricos de ilha reflectiram este aspecto. Todas as 54 massas de água subterrânea se encontram em Bom Estado quantitativo, enquanto relativamente ao estado químico se observa que 7% das massas foram classificadas como em estado Medíocre, em resultado de fenómenos de intrusão marinha, nas ilhas do Pico e da Graciosa. Da análise efectuada constata-se ainda a necessidade de operacionalizar a monitorização quantitativa das massas de água, assim como delimitar algumas destas novamente antes do próximo ciclo de planeamento.

Observações


Anexos