Iniciar sessão

Navegar para Cima
A aplicação Web não foi encontrada em http://cvarg.azores.gov.pt/publicacoes. Verifique se escreveu o URL correctamente. Se o URL tiver de fornecer conteúdo existente, o administrador do sistema poderá ter de adicionar um novo mapeamento do URL do pedido à aplicação de destino.
A aplicação Web não foi encontrada em http://cvarg.azores.gov.pt/publicacoes. Verifique se escreveu o URL correctamente. Se o URL tiver de fornecer conteúdo existente, o administrador do sistema poderá ter de adicionar um novo mapeamento do URL do pedido à aplicação de destino.
Não é possível visualizar esta Peça Web. Para resolver o problema, abra esta página Web num editor de HTML compatível com o Microsoft SharePoint Foundation como, por exemplo, o Microsoft SharePoint Designer. Se o problema persistir, contacte o administrador do servidor Web.


ID de Correlação:0cf5c705-a1a3-49ad-8e64-069ea118e296


Comunicações orais ► em encontros nacionais

 

Referência Bibliográfica


FERREIRA, T., FELPETO, A., GASPAR, J.L. (2001) - Simulation of lava flows based on a model of maximum slope for the 1995 eruption at Fogo island, Cape Verde. “2º Simpósio de Meteorologia e Geofísica da APMG”. Évora, 12-15 de Fevereiro (Comunicação Oral).

Resumo


A modelação de erupções efusivas visa a descrição quantitativa do comportamento de uma escoada lávica durante um episódio vulcânico e requer para a sua validação a aplicação a casos reais apropriados. Neste sentido, a erupção que ocorreu em Abril de 1995 na ilha do Fogo, Cabo Verde, constitui um exemplo ideal para o teste de diversos modelos de simulação de fluxo, em virtude de ser conhecida a topografia anterior ao evento e de ter sido devidamente acompanhada a progressão das escoadas lávicas.
 
No caso vertente procede-se à validação de um modelo probabilista baseado no declive máximo, onde a trajectória das escoadas lávicas é condicionada pelo tipo de topografia. A simulação é efectuada sobre um Modelo de Elevação de Terreno (MET), constituído por células quadradas de 30 metros. Os caminhos possíveis são determinados pela aplicação de um algoritmo de Monte Carlo de acordo com o número de iterações previamente definido. Como parâmetros de entrada considera-se a altura crítica e o comprimento máximo do fluxo.
 
A aplicação do modelo de simulação considerando que inicialmente a espessura da escoada foi da ordem dos 2 metros fornece uma imagem de probabilidades da área afectada semelhante ao contorno planimétrico adquirido pela escoada lávica ao fim das primeiras 48 horas de actividade eruptiva. Por outro lado, introduzindo um valor de espessura da ordem dos 6 metros (espessura média final da escoada) a imagem de probabilidades da área afectada aproxima-se da área coberta pelo campo lávico correspondente à totalidade do evento, constatando-se que os desvios existentes resultam essencialmente de uma sobrestimação.
 
Os ensaios efectuados colocam em evidência as vantagens e desvantagens do modelo utilizado e permitem definir estratégias para o desenvolvimento de algoritmos susceptíveis de melhorar o traçado de cenários eruptivos com implicações no domínio da protecção civil e do ordenamento do território.

Observações


Anexos