Iniciar sessão

Navegar para Cima
A aplicação Web não foi encontrada em http://cvarg.azores.gov.pt/publicacoes. Verifique se escreveu o URL correctamente. Se o URL tiver de fornecer conteúdo existente, o administrador do sistema poderá ter de adicionar um novo mapeamento do URL do pedido à aplicação de destino.
A aplicação Web não foi encontrada em http://cvarg.azores.gov.pt/publicacoes. Verifique se escreveu o URL correctamente. Se o URL tiver de fornecer conteúdo existente, o administrador do sistema poderá ter de adicionar um novo mapeamento do URL do pedido à aplicação de destino.
Não é possível visualizar esta Peça Web. Para resolver o problema, abra esta página Web num editor de HTML compatível com o Microsoft SharePoint Foundation como, por exemplo, o Microsoft SharePoint Designer. Se o problema persistir, contacte o administrador do servidor Web.


ID de Correlação:7363715f-7f22-4a0d-8cb1-f5f51c06f1a3


Teses ► Mestrado

 

Referência Bibliográfica


MARCOS, M. (2006) - Estudo dos processos de desgaseificação difusa nos Açores, com base na análise de variações espaciais de CO2 e temporais de 222RN. Dissertação​ de Mestrado em Vulcanologia e Riscos Geológicos, Universidade dos Açores, 135p.

Resumo


​O arquipélago dos Açores, localizado na região onde se estabelece o contacto entre as placas tectónicas Euroasiática, Africana e Americana, é constituído por nove ilhas distribuídas por três grupos segundo uma direcção aproximada WNW-ESE.

 

Função deste enquadramento geodinâmico, esta região é caracterizada por uma actividade vulcânica e sísmica bastante acentuada observando-se, em vários locais, a presença de emanações gasosas que são libertadas para a atmosfera.

 

A aplicação de técnicas de cartografia de anomalias geoquímicas ao estudo de estruturas tectónicas tem-se revelado extremamente eficaz na identificação de zonas de desgaseificação difusa associadas a falhas activas, uma vez que estas funcionam como condutas preferenciais facilitando a ascensão dos gases vulcânicos de profundidade para a atmosfera. Partindo deste pressuposto, e procurando estabelecer uma relação entre a presença de estruturas tectónicas e vulcânicas no arquipélago dos Açores e a desgaseificação difusa através do solo, realizaram-se uma série de campanhas de cartografia de anomalias geoquímicas de CO2 e térmicas nas ilhas do Faial, Pico, S. Jorge e S. Miguel.

 

Pela análise dos padrões de distribuição espacial das anomalias geoquímicas encontradas nas diferentes ilhas, verifica-se que as zonas de desgaseificação através dos solos não estão uniformemente distribuídas à superfície. Ocorrem, de um modo geral, definindo preferencialmente alinhamentos coincidentes ou paralelos a estruturas tectónicas regionais com orientações WNW-ESE e NNW-SSE e, por vezes conjugados com os sistemas hidrotermais conhecidos. Nalgumas ilhas, em particular no Faial e na região central de S. Miguel, Zona Fogo-Congro/Planalto da Achada das Furnas destacam-se alinhamentos de orientação NE-SW, direcção tectónica proposta por alguns autores para algumas das ilhas, que raramente apresenta evidências morfoestruturais à superfície. Deste modo o estudo da distribuição das anomalias de CO2 permite revelar a presença de algumas destas estruturas ocultas pela deposição de produtos vulcânicos mais recentes ou pelo facto de resultarem de processos tectónicos mais profundos, com reduzida expressão à superfície. A informação obtida é extremamente útil no âmbito da vigilância sismovulcânica pois alterações nas distribuições espaciais das anomalias podem ser indiciadoras de modificações no comportamento dos sistemas vulcano-tectónicos activos.

 

Complementarmente foi desenvolvido um ensaio de monitorização contínua, tendo sido instalada uma estação automática de medição da concentração de 222Rn no solo, na freguesia da Ribeirinha, ilha do Faial, no sentido de avaliar alguns dos factores que condicionam a libertação deste gás. Os dados recolhidos mostram a existência de valores relativamente elevados, variando entre um mínimo de 3331,22 Bq/m3 e um máximo de 55343,23 Bq/m3. Pela análise dos dados, constata-se que as condições meteorológicas têm influência sobre a concentração de 222Rn no solo, sendo a pressão atmosférica o parâmetro que parece exercer o maior controlo, numa proporcionalidade inversa.

Observações


Anexos