Iniciar sessão

Navegar para Cima
A aplicação Web não foi encontrada em http://cvarg.azores.gov.pt/publicacoes. Verifique se escreveu o URL correctamente. Se o URL tiver de fornecer conteúdo existente, o administrador do sistema poderá ter de adicionar um novo mapeamento do URL do pedido à aplicação de destino.
A aplicação Web não foi encontrada em http://cvarg.azores.gov.pt/publicacoes. Verifique se escreveu o URL correctamente. Se o URL tiver de fornecer conteúdo existente, o administrador do sistema poderá ter de adicionar um novo mapeamento do URL do pedido à aplicação de destino.
Não é possível visualizar esta Peça Web. Para resolver o problema, abra esta página Web num editor de HTML compatível com o Microsoft SharePoint Foundation como, por exemplo, o Microsoft SharePoint Designer. Se o problema persistir, contacte o administrador do servidor Web.


ID de Correlação:555e7ad1-18f0-4b72-96a1-d9a70854c243


Teses ► Doutoramento

 

Referência Bibliográfica


QUEIROZ, G. (1997) - Vulcão das Sete Cidades (S. Miguel, Açores): história eruptiva e avaliação do hazard. Tese de doutoramento no ramo de Geologia, especialidade de Vulcanologia. Universidade dos Açores, Departamento de Geociências, 226p.

Resumo


Fruto da coalescência de diferentes sistemas vulcânicos, a ilha de S. Miguel fica localizada no segmento SE do Rift da Terceira, uma das mais importantes zonas de fractura dos Açores sob o ponto de vista da actividade sismovulcânica. Palco de diversas erupções históricas - efusivas e explosivas -, área de residência de cerca de metade da população do arquipélago e parcela significativa do tecido sócio-económico da região, a ilha de S. Miguel encerra um elevado risco vulcânico, cuja análise deve ser conduzida tendo por objectivo a implementação e a dinamização de medidas preventivas que possam contribuir decisivamente para a minimização das consequências de um eventual fenómeno desta natureza.

 

Dando continuidade ao levantamento geológico iniciado no final dos anos 80, o presente documento centra- -se na discussão da história evolutiva do maciço das Sete Cidades, reunindo os elementos de campo e de laboratório compilados ao longo de mais de uma década. Neste contexto, versa sobre a caracterização vulcanológica de um dos mais activos centros eruptivos do Atlântico e, por conseguinte, de um aparelho potencialmente ameaçador do tranquilo quotidiano, não apenas da ilha de S. Miguel, mas do arquipélago dos Açores. Na prática, a história eruptiva que se define constitui a base de trabalho necessária para a concepção de planos de emergência adequados para enfrentar situações decorrentes de episódios vulcânicos e dirigidos para a programação e sistematização de acções de Protecção Civil.

 

No primeiro capítulo resume-se o enquadramento geográfico e geológico do Complexo Vulcânico das Sete Cidades, no quadro geral da ilha de S. Miguel e do arquipélago dos Açores, considerando-se o facto de num trabalho anterior tais aspectos descritivos já terem sido alvo de especial atenção. Seguindo-se uma ordem cronológica, e numa perspectiva meramente histórica, aí se enumeram os diversos trabalhos publicados até à data sobre a Geologia da área de estudo.

 

O segundo capítulo é exclusivamente dedicado à análise das principais formas e estruturas vulcânicas observadas. Neste domínio efectua-se a caracterização geomorfológica do maciço, particularizando-se o vulcão central com caldeira, os cones de escórias, os cones de pedra pomes e os maars, incluindo os cones e os anéis de tufos. Paralelamente, merecem referência os vários tipos morfológicos de escoadas lávicas basálticas e domos.

 

A cartografia geológica do maciço das Sete Cidades constitui o núcleo do terceiro capítulo e envolve a caracterização das estruturas tectónicas identificadas na área e a definição da estratigrafia fina do sistema vulcânico. Com base na identificação de bons níveis de referência, aqui se propõe um nova escala vulcanoestratigráfica para o Complexo Vulcânico das Sete Cidades, baseada na existência de sete unidades geológicas que marcam diferentes fases da actividade vulcânica neste sector da ilha de S. Miguel. Neste contexto, descrevem-se detalhadamente todos os depósitos individualizados, nomeadamente no que concerne à natureza dos seus elementos, juvenis e líticos, e às particularidades da sua estrutura interna.

 

No quarto capítulo procede-se à análise das características geoquímicas das rochas amostradas, procurando definir-se o padrão composicional das sequências eruptivas. Deste modo, classificam-se os exemplares em questão de acordo com a respectiva razão alcalis/sílica, discute-se o seu carácter alcalino e aborda-se o seu enquadramento sob o ponto de vista tectonomagmático. O comportamento geoquímico de elementos maiores e menores é utilizado, paralelamente, com o objectivo de se identificarem mecanismos indicadores de fenómenos de diferenciação ao nível de uma câmara magmática.

 

A história eruptiva do vulcão das Sete Cidades é alvo de discussão no quinto capítulo, onde se confrontam os diferentes aspectos decorrentes da análise morfoestrutural do maciço e da cronologia dos episódios vulcânicos associados à génese dos principais depósitos identificados. Neste domínio, merecem particular realce a evolução da caldeira, a actividade vulcânica registada nos últimos 5000 anos e a problemática existente em torno da localização das erupções históricas ocorridas na ilha de S. Miguel.

 

O último capítulo é dedicado à avaliação do hazard vulcânico, com base nos parâmetros eruptivos definidos pelas características dos eventos estudados e que tipificam as diversas situações passíveis de se verificarem. Inserem-se, neste contexto, manifestações que propiciem o desenvolvimento de escoadas lávicas, a projecção de piroclastos de queda e a progressão de escoadas piroclásticas, surges e lahars.

Observações


Anexos