Iniciar sessão

Navegar para Cima
A aplicação Web não foi encontrada em http://cvarg.azores.gov.pt/publicacoes. Verifique se escreveu o URL correctamente. Se o URL tiver de fornecer conteúdo existente, o administrador do sistema poderá ter de adicionar um novo mapeamento do URL do pedido à aplicação de destino.
A aplicação Web não foi encontrada em http://cvarg.azores.gov.pt/publicacoes. Verifique se escreveu o URL correctamente. Se o URL tiver de fornecer conteúdo existente, o administrador do sistema poderá ter de adicionar um novo mapeamento do URL do pedido à aplicação de destino.
Não é possível visualizar esta Peça Web. Para resolver o problema, abra esta página Web num editor de HTML compatível com o Microsoft SharePoint Foundation como, por exemplo, o Microsoft SharePoint Designer. Se o problema persistir, contacte o administrador do servidor Web.


ID de Correlação:a33441c0-0163-4993-8250-8d860ff0f694


Teses ► Mestrado

 

Referência Bibliográfica


MELO, C. (2015) - Origin and evolution of coastal talus-platforms (fajãs) with pond systems in oceanic volcanic islands. Dissertação​ de Mestrado em Geologia do Ambiente e Sociedade, Departamento de Geociências, Universidade dos Açores, 128 p.


Resumo


​​Fajãs detríticas costeiras com sistemas lagunares – como as Fajãs da Caldeira de Santo Cristo e dos Cubres na Ilha de São Jorge – constituem locais de elevada riqueza geológica, biológica e paisagística, tendo mesmo se tornado um ícone paisagístico do Arquipélago dos Açores. Muito embora seja do conhecimento geral que a génese de fajãs detríticas costeiras está intrinsecamente ligada à evolução das altas arribas litorais típicas de ilhas vulcânicas, e aos processos de movimentos de massa associados a esta evolução, pouco se conhece acerca dos processos que concorrem para a génese de fajãs detríticas costeiras que exibem sistemas lagunares. Em particular, dúvidas ainda subsistem acerca da possibilidade dessas fajãs serem um resultado directo e fortuito do deslizamento que lhes deu origem, ou, por oposição, serem resultado de um retrabalhamento marinho (por ondas e correntes) após a sua implantação. Um acontecimento recente, no entanto, promete revolucionar o nosso conhecimento sobre o assunto: um deslizamento ocorrido na Ilha do Corvo durante o temporal de 30 de Outubro de 2012, e o seu desenvolvimento posterior, constitui um análogo exemplar para a génese destas morfologias. O objectivo central desta tese de mestrado é precisamente documentar a evolução desta fajã, com o intuito de avançar o nosso conhecimento sobre as origens das fajãs detríticas costeiras com sistemas lagunares, e sobre os processos que concorrem para a sua formação. Com este objectivo, foi compilada um base de imagens que documentam este evento, e com base nestas imagens procedeu-se à reconstrução temporal das várias fases evolutivas da fajã. As observações assim efectuadas revelaram que este tipo de depósitos constituem geoformas incrivelmente dinâmicas, apresentando uma evolução inicial extremamente rápida, tal como a geração e desenvolvimento da Fajã dos Milagres (como ficou a ser conhecida) na Ilha do Corvo claramente demonstrou. Adicionalmente, com base nestas observações, foram definidas 5 fases evolutivas no desenvolvimento desta fajã: “fase de ilhéu”; “fase de cordão litoral”; “fase inicial de sistema lagunar”; “fase madura de sistema lagunar”; “fase de fajã”. As reconstruções efectuadas neste estudo, quando relacionadas com dados de ondulação, mostram que as ondas e correntes induzidas pela ondulação - responsáveis pelo acarreio de sedimentos em direcção da costa e ao longo da mesma - desempenham um papel fundamental na evolução da fajã, confirmando que estas geoformas não são um produto fortuito do deslizamento que lhes deu origem mas sim o resultado de um retrabalhamento marinho posterior à sua instalação. A presença de uma plataforma insular larga, de pouca profundidade e de fraco pendor, é igualmente considerada como uma condição pré-existente essencial para a formação deste tipo de fajãs. Finalmente, é aqui postulado que a maioria das fajãs com sistemas lagunares passa por todas as fases evolutivas acima mencionadas, e somente em condições excepcionais é que uma fajã retêm, por um período considerável de tempo, uma morfologia de “fase inicial de sistema lagunar” ou de “fase madura de sistema lagunar”, como as Fajãs da Caldeira de Santo Cristo e dos Cubres em São Jorge ainda retêm.

Observações


Anexos